segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

FREI BETO (PARTE II)


Mariana Paiva: em que medida este impulso de consumir causa comprometimentos mais sérios na vida das pessoas?
FB: Basta pensar que um dos países que têm a menor quantidade de registros de síndrome de pânico e estresse é Cuba, isso por conta da ausência de pressão consumista. Movidas por essa necessidade de consumir, as pessoas vão em busca de valores equivocados, como poder, riqueza e beleza, mas o buraco no coração é muito grande. O desejo é infinito, mas, se é colocado no lugar errado, complica tudo. As pessoas ainda estão muito egocentradas, sem abertura para o outro. Mas, veja só, quem faz algum tipo de trabalho pelo outro muito raramente se entristece com a vida.

CONTINUE ACOMPANHANDO A ENTREVISTA COM FREI BETO
NA PRÓXIMA SEMANA O TEMA É FÉ