quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Entrevista com Frei Betto (Parte III)

E as pessoas têm sentido falta de algo em que acreditar?

         Vejo que há muita inquietude espiritual. Vou te dar o exemplo mais radical, que é o consumo de drogas. Todo viciado é um místico em potencial. Por ter descoberto que a felicidade está dentro de si, e não fora, ele busca ansiosamente essa felicidade subjetiva. O detalhe é que ele ingressa pela porta errada, a do absurdo, quando seria muito feliz se entrasse pela do absoluto. O crescimento do consumo é a maior prova de que as pessoas estão procurando desesperadamente a espiritualidade, mas ainda carecem de orientação, porque ainda não descobriram o caminho correto, mas querem transcender, fazer uma experiência de êxtase. A vida mística faz isso.”

         A entrevista completa pode ser lida na Revista Muito, número 194, edição de 18/12/11. Na próxima semana, Frei Beto conversa com a repórter Mariana Paiva (mariana.paiva@grupoatarde.com.br) sobre ciência e fé. Não perca.

Foto: http://revistacult.uol.com.br/home/2011/11/entre-ensaios-e-ficcoes/