segunda-feira, 26 de março de 2012

Professor de sociologia discute secularização e modernidade – Parte 1

             A partir desta semana você vai acompanhar trechos de uma entrevista com o sociólogo da religião, o espanhol José Casanova, concedida para o repórter Rodrigo Cardoso. A entrevista completa está publicada na edição de número 2.210 da revista Isto É, do dia 21 de março de 2012.
            Há uma onda de pessoas abandonando as religiões e mantendo a fé em espaços privados. Por quê?
            Durante 300 anos, os países europeus passaram por um processo de religiosidade (confessionalização) em que o Estado impôs a suas populações as religiões luterana, calvinista ou católica. Hoje, associa-se o Estado religioso e a igreja estatal a uma tradição muito velha, que vai contra a modernidade. O Brasil, com a modernização e o crescimento das classes médias, também passa por um processo parecido, embora atenuado, porque a modernidade tem a ver com a pluralização da religião. Na Europa, ou você pertence a uma religião, igreja ou sai dela de vez. Então, a secularidade aparece como a única alternativa à religião – é considerada um estágio mais avançado do que a religião.”  
          Foto: