sexta-feira, 20 de abril de 2012

Professor discute secularização e modernidade – Parte Final


Google
        Estamos encerrando a apresentação de trechos da entrevista com o sociólogo da religião, o espanhol José Casanova. A entrevista foi concedida para o repórter Rodrigo Cardoso e está publicada na edição de número 2.210 da revista Isto É, do dia 21 de março de 2012.
         O que é ser ateu no mundo globalizado?
         "Há uma anedota na Irlanda do Norte que diz que um cidadão, ao atravessar a zona protestante em direção à católica, é abordado: “Mãos para cima. Você é protestante ou católico?” O cidadão respondeu: “Sou ateu”. A indagação seguinte foi: “Mas qual tipo de ateu: protestante ou católico?” É o contexto que define o que significa ser ateu. Na Europa, ser ateu é normal para um jovem, que não precisa fazer nada para se encontrar nessa situação, não precisa dialogar, refletir. É algo natural, espontâneo. Por outro lado, para ser religioso ele tem de fazer algo. Na América é o contrário. Ser ateu exige uma coragem enorme, ser contra a sociedade. É estar continuamente lutando e defendendo a sua posição diante de todos. Uma pesquisa mostrou que nos Estados Unidos o cidadão afirma que votaria em qualquer religioso, até em um muçulmano, mas jamais em um ateu."