sexta-feira, 15 de junho de 2012

Pensando a educação – Parte 1

Manifestação da Greve Nacional da Educação em Feira de Santana
http://www.aplbsindicato.org.br/
A greve dos professores da rede estadual baiana de ensino completa, nesta sexta-feira (15), 66 dias de duração. Enquanto o governo não aceita o reajuste salarial de 22,22% pedido pela categoria, o cumprimento da carga horária letiva pode estar ameaçado. Além disso, infra-estrutura da escola pública e plano de carreira, por exemplo, são questões que continuam sem uma solução satisfatória. 
A partir de hoje, a série “Pensando a Educação” divulga frações de entrevistas sobre alguns problemas que afetam, principalmente, o ensino brasileiro. Para começar, leia o comentário do Ministro da Educação, Aloízio Mercadante. (Texto disponível na revista Nova Escola, edição nº 252, maio de 2012).
Denise Pellegrini e Maggi Krause: - O que está sendo feito para aprimorar a qualidade de ensino e diminuir os índices de reprovação e abandono?
           “Uma das iniciativas é o Programa Mais Educação, de ensino em tempo integral (sete horas por dia). Com uma jornada escolar maior, melhora o processo de aprendizagem. A prioridade está nas disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências, que são essenciais, mas o programa inclui dez macrocampos – como arte, cultura e esporte – complementares à grade e que podem ser escolhidos pela escola. A meta era chegar em 2014 com mais 32 mil escolas incluídas, mas serão 30 mil em 2012.”