quarta-feira, 21 de agosto de 2013

O Que Nós Fazemos Na Igreja e Por Que!

1.  O Sinal da Cruz
Fr. Edmund Straszak

São Paulo diz na Carta aos Gálatas: Quanto a mim, não aconteça gloriar-me senão na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, por quem o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo”(6.14). Para São Paulo a cruz é uma das duas faces de nossa fé, a outra face é a Ressurreição. De fato, a Ressurreição só é possível depois que somos crucificados “para o mundo” e o mundo para nós.
Essa premissa é o coração da fé cristã: A Ressurreição é a recompensa ou a meta, mas a cruz é o caminho. O caminho para Deus e a vida eterna leva-nos para a cruz.

Como fazer o Sinal da Cruz.

Fazer o sinal da cruz é uma manifestação de adoração em toda a Cristandade, e possui diferentes formas no Oriente e Ocidente. Pode ser realizado também sobre outras pessoas e objetos como também sobre o próprio crente.

Na Igreja Ocidental, incluindo a Igreja da Inglaterra(Anglicana), é normalmente realizado com a mão direita. Você começa:
1.    Tocando a fronte
2.    Trazendo a mão para o alcance do peito, do coração;
3.    Tocando o lado esquerdo e em seguida levando a mão a cruzar o peito para terminar com um toque no lado direito.
Com esses movimentos você traça o sinal da cruz sobre o próprio corpo.

Quando se faz o sinal da Cruz

O sinal da cruz pode ser feito a qualquer hora. É mais usado na liturgia na hora dos responsos, na benção impetrada pelo sacerdote, ou particularmente em momentos significantes da adoração e oração.

Durante a Eucaristia
Existem nove momentos dentro da Celebração Eucarística da qual o sinal da cruz é realizado sobre si. Eles são:
1.    Nas palavras “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santos, Amém.”
2.    Nas palavras da Absolvição.
3.    No começo da leitura do Evangelho*;
4.    No fim da oração pelos falecidos nas intercessões.
5.    ( Durante a oração de consagração) Quanto a Hóstia é erguida, e
6.    Quando o cálice também é erguido;
7.    Na comunhão
-antes de receber a Hóstia;
8.    -Na recepção do cálice;
9.    Quando o padre pronuncia a Benção Final;

Outros momentos.
O sinal da cruz também é realizado frequentemente na oração matutina e vespertina, nos ofícios ocasionais, e na oração privada. É também apropriado fazer o sinal da cruz no começo dos cânticos evangélicos: Benedictus, Magnificat e Nunc Dimitis.
Algumas igrejas têm na entrada do templo um recipiente contendo água benta(Stoup em inglês). É uma boa prática quando entrar para a Igreja, molhar os dedos fazendo o sinal da cruz com a água. Isso nos rememora o nosso Batismo e a Confirmação do qual são sacramentos realizados com o sinal da cruz.

A cruz com um “sinal”.
O símbolo da cruz é um sinal comum a todos os cristãos, de todas as diferentes tradições, e esteve presente desde o inicio da história do Cristianismo. Pode ser visto na arte sacra, nas igrejas, ou como um ornamento em nossos corpos. É apropriado aos cristãos por que o sinal da cruz no faz lembrar constantemente que Cristo morreu por todos nós. Quando nós fazemos o sinal da cruz nos lembramos da paixão do Senhor. Fazendo o sinal da cruz, nós glorificamos a cruz de Cristo, e somos chamados a carregar a nossa própria cruz. Quando carregamos a nossa própria cruz nós estamos preparados para dizer ao Senhor “não o que quero, mas a Tua vontade”. “Não eu, mas Vós”.

A Cruz como uma oração.

Muitos que fazem o sinal da cruz o realizam acompanhado de uma outra oração. Por exemplo, fazemos o sinal da cruz quando dizemos “ Em nome do Pai...etc”. Nesse caso o sinal da cruz nos faz lembrar do mistério da Trindade. Fazer o sinal da cruz também é orar: uma oração sem palavras.

É justo que quando nos unirmos para um ato de adoração que o façamos com todo nosso ser. Com nossa consciência, alma e também com nosso corpo, pois o nosso corpo como diz as Escrituras é “templo do Espírito Santo”. O sinal da cruz não é nada menos que adorar com o corpo, essa adoração não seria possível ao nosso corpo senão com gestos e movimentos?. 

Quando nós usamos as palavras para orar também usamos uma linguagem. O corpo também tem sua própria linguagem, da qual o sinal da cruz é um eloquente exemplo. Um pequeno gesto vale mais que mil palavras.


*O sinal da cruz anterior a leitura do Evangelho é diferente de sua forma comum. Feito com a mão direita consiste em três cruzes em uma. Uma cruz pequena é traçada na fronte, outra nos lábios e outra sobre o peito. Isso nos faz lembrar de que somos redimidos completamente: mente, espírito e corpo. Quando nós oramos para ouvir o Evangelho, oramos para que possamos entendê-lo em nossas mentes, falar com nossos lábios e acreditar com nossos corações.


Adaptado de uma série de seis panfletos de cunho informativo escritos pelo Frei Edmund Straszak da Igreja da Inglaterra.  Originalmente uma publicação conjunta entre a St. Deny’s Bookshop e a Church Union Faith House.