sábado, 25 de abril de 2015

Opinião: Denominolatria

http://kdimagens.com/imagem/respeite-a-opiniao-dos-outros-como-gostaria-que-respeitassem-a-tua-701

Faz pouco mais de um mês que recebi a visita de dois missionários, os quais pediram um instante de meu tempo para me comunicarem sua mensagem. Começaram perguntando-me se eu sabia a distinção entre reforma e restauração. A primeira, segundo eles, consiste em consertar algo, inclusive realizando modificações; a segunda, por sua vez, significa recuperar a originalidade de algo. Daí, eles se definiram como anunciadores da restauração do projeto de Deus, que se encontra corrompido em todas as religiões e, consequentemente, definiram sua igreja como a única verdadeira.
Posicionei-me na contramão da mensagem, argumentando a partir do diamante como metáfora da verdade, posto que um mesmo diamante possui várias faces, da mesma forma que a verdade, embora única, possua muitas perspectivas. Assim como uma face do diamante não exclui a outra, uma perspectiva da verdade não exclui as demais.
Concluí dizendo que Deus é amplo demais para ser caber nos paradigmas de uma única denominação, ao que fui retrucado, “não existem duas verdades ou meias-verdades, ou uma igreja é a verdade ou ela não é a igreja certa!”, disseram. Quando perguntado se eu aceitaria uma nova visita, recusei-me, explicando que eles me trazem a resposta para uma pergunta que não me faço, “qual é a igreja certa?”
Bem, o mal do século é a denominolatria, isto é, a idolatria por uma denominação religiosa. Cristo nem nome deu a Sua Igreja!

Adriano Portela é professor universitário e padre.