segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Reflexão

Imagem extraída de http://www.rgl.com.br/

       "Diante da crise política e da economia, a crise da cultura é pouco visível, mas é sentida nos mínimos atos do cotidiano, enquanto fecham-se livrarias e cinemas. Teatros, museus e bibliotecas são esquecidos na UTI da cultura. Centros destinados ao comércio de Jesus surgem da noite para o dia, delegacias e leis especiais são criadas para euforia de muitos, como uma conquista dos que estão à margem. Perdemos o bom humor, até nossos afetos, desejos e comportamentos são intermediados pelo aparelho judicial e/ou policial. É a legitimação do estado de barbárie. O que poderia ser um probleminha solúvel via cidadania cultural, de repente, vira caso de polícia" - artista plástico Almandrade.