sábado, 8 de abril de 2017

Reflexão

https://adrianoportela.wordpress.com/2016/06/17/a-igreja-do-diabo-machado-de-assis/

     "...trago hoje o conto A Igreja do Diabo, de Machado de Assis. Sempre me impressionou esse conto por conta de refletir sobre a inclinação humana à contradição, ao controverso, à dificuldade de integridade. Machado trabalha essa realidade humana, com o sarcasmo refinado e o conhecimento da psicologia humana, que são próprios de seu estilo literário. Daí que ele encerra o conto com a seguinte máxima dita : “Que queres tu, meu pobre Diabo? As capas de algodão têm agora franjas de seda, como as de veludo tiveram franjas de algodão. Que queres tu? É a eterna contradição humana”. O conto é uma resposta à pergunta: O que aconteceria se o Diabo resolvesse abrir uma igreja? Boa leitura!"